A História da Secção de Judo - AAC

O Judo em Coimbra encontra a sua génese no interesse que um grupo de estudantes universitários sentiu por esta modalidade originária no Japão. Ainda sem ligação formal à academia, a persistência demonstrada por este grupo de entusiastas e o desenvolvimento que imprimiram a este desporto resultou na criação formal, em 1961, da Secção de Judo da Associação Académica de Coimbra, sendo esta um dos primeiros associados da Federação Portuguesa de Judo, consituída em 1959.

Os primeiros anos de actividade do judo na Académica estiveram longe de ser fáceis e foram inúmeras as dificuldades que tiveram de ser ultrapassadas pela determinação dos elementos fundadores da secção.

Algumas delas estavam relacionadas com a prática de um desporto recente e manifestavam-se essencialmente nas precárias condições materiais em que decorriam os treinos. Estes eram realizados numa pequena sala onde o tapete era uma lona que cobria pedaços de corticite. Na falta de fatos de judo muitos atletas treinavam de pijama e fato-macaco.

Nos primeiros anos, a juventude da secção traduzia-se na falta de um corpo técnico constituído por elementos do clube, o que obrigou a que a orientação técnica estivesse dependente de treinadores externos à Académica.

Mas provavelmente a maior contrariedade com que os elementos fundadores da Secção de Judo da Associação Académica de Coimbra tiveram que lidar foi com a permanente instabilidade política vivida no seio da academia durante a década de sessenta. Se na generalidade a universidade era um meio altamente politizado, então a maior associação de estudantes do país era um dos palcos privilegiados para o confronto político. Os reflexos dessa luta política ao nível da direcção geral fizeram-se naturalmente repercutir nas diversas secções. No caso da Secção de Judo, chegou mesmo a haver necessidade de deixar treinar na Académica, continuando temporariamente a actividade em espaços alternativos na cidade de Coimbra.

 

Com a situação política estabilizada e com o regresso definitivo da actividade às instalações da Académica, a secção podia agora concentrar esforços no desenvolvimeno da modalidade nos seus múltiplos aspectos. Apesar de na sua génese estar o meio académico universitário, cedo a secção percebeu a necessidade de se abrir à restante sociedade, procurando desenvolver acções que pudessem trazer para a prática do judo na Académica homens e mulheres de todas as idades.

O primeiro objectivo era criar quadros que garantissem o regular funcionamento da secção no plano técnico e administrativo, já que a maior parte dos praticantes da altura, sendo estudantes universitários, no final dos seus cursos perdiam a ligação à modalidade em Coimbra. Era necessário começar a recrutar atletas logo das classes etárias mais baixas, nomeadamente infantis. Foi nesta altura que foram realizadas as primeiras experiências de criação de classes de judo em unidades de ensino da cidade, com especial incidência em externatos e colégios.

Estes passos foram de externa importância já que permitiram à secção ter os praticantes para garantir a sua vitalidade, terminar com a dependência técnica de elementos externos à Académica e começar a obter os primeiros resultados desportivos com alguma relevância.

Estavam desta forma criadas as condições para que, definitivamente, a secção pudesse crescer em termos organizativos e desportivos, o que se veio a verificar nas décadas seguintes.

 

Os anos setenta ficaram positivamente marcados pelo início da utilização das actuais intalações no Estádio Universitário de Coimbra. Com esta infra-estrutura a secção ganhou capacidade quantitativa na realização de treinos, podendo oferecer aos seus atletas excelentes condições de desenvolvimento, o que naturalmente se começou a traduzir nos resultados desportivos alcançados. Passadas três décadas, estas instalações continuam a ser uma das melhores salas de judo do país.

Mas o trabalho realizado no desenvolvimento deste desporto não ficou confinado ao clube já que a secção e os seus elementos sempre tiveram um papel muito activo na estutura responsável pelo judo na região, a Associação Distrital de Judo de Coimbra, criada em 1978.

Actualmente a Secção de Judo da Associação Académica de Coimbra é um dos clubes de referência a nível nacional. Com treinos diários nas diversas classes, o bem preparado corpo técnico da secção é responsável pela orientação de duas centenas de praticantes.

A secção de Judo marca presença nas mais diversas provas nacionais e internacionais, bem como noutro tipo de eventos, nomeadamente estágios de aperfeiçoamento técnico/competitivo.

Ao nível desportivo a secção de Judo da Académica conta com campeões nacionais em todas as categorias etárias e sobe regularmente ao pódio nas diversas competições por equipas. Estes resultados têm levado a que os atletas da Académica sejam regularmente chamados aos trabalhos da selecção nacional, representando o país em inúmeras ocasiões.

Também ao nível organizativo a Secção de Judo da Associação Académica de Coimbra deixa regularmente a sua marca no panorama do judo nacional já que é responsável pela mais forte competição de equipas em Portugal, o Torneio da Queima das Fitas, e realiza anualmente o maior estágio de judo a nível nacional.